Fundo cívico quer eleger parlamentares em 2018
Publicado em: 08/10/2017 ŕs 23:27:46  

Do: Contas abertas

Um grupo de empresários e personalidades está montando um "fundo cívico" para angariar recursos e eleger parlamentares nas eleições de 2018. Em um documento de 22 páginas, o movimento “Renova Brasil” especificou como pretende promover uma “renovação profunda do Congresso Nacional”.

“A política brasileira faliu. 94% da população não se sente representada e 79% votariam em alguém de fora da política”, afirma o documento do fundo. O fundo é capitaneado pelo empresário Eduardo Mufarej da Somos e Tarpon.

De acordo com o documento, há muitos talentos no Brasil que gostariam de entrar na vida pública e se dedicarem à construção de um país melhor. No entanto, o caminho é “completamente obscuro, tortuoso e cheios de obstáculos”.

Os empresários acreditam que a estrutura partidária não incentiva pessoas de fora do sistema a entrarem na vida pública. “As pessoas não tem recursos para fazerem pré- campanha e se dedicarem a uma candidatura vitoriosa. Pessoas competentes, depois de tentarem muito, desistem e voltam ao mercado de trabalho”, afirmam.

Dessa forma, o que o Fundo pretende proporcionar bolsas de estudo para pessoas interessadas em se candidatar ao Legislativo nas eleições de 2018. A intenção do grupo seria a de tentar eleger de 70 a cem deputados federais na próxima eleição.

“A reforma do Estado e dos princípios que o regem, transformando o Brasil num país moderno, dependem muito de um movimento contundente a partir da sociedade civil, trazendo para essa arena gente que hoje está fora da política. A classe política atual dificilmente o fará – por falta de motivação e incentivos”, explica o documento.

Para os empresários, os próprios partidos e lideranças tradicionais da política nacional enfrentam uma profunda crise de credibilidade, representatividade e legitimidade. Não há outro caminho, agora, a não ser a renovação. “Só assim podemos construir o Brasil moderno e justo que sonhamos”, explicam.

Polêmica

No momento em que o Congresso discute novas formas de financiamento, o Fundo claro, não passaria longe de polêmica. O deputado Jorge Solla (PT-BA) quer suspender o Fundo Cívico Para a Renovação da Política. O parlamentar pediu à procuradora-geral da República, Raquel Dodge, uma investigação sobre o FundoRenovaBR, criado por um grupo de empresários.

 
URL:
Todos os direitos reservados - Louremar Fernandes
[IMPRIMIR]