Nada de posse: ainda não há data para posse do novo prefeito de Bacabal
Publicado em: 03/07/2018 às 12:31:06  

Ainda não há definição sobre a posse do presidente da Câmara de Bacabal no cargo de prefeito da cidade.

Enquanto não há uma determinação judicial para o ato, a equipe do presidente Edvan Brandão segue formando o secretariado. Como ocorre nesses processos de transição e de acomodação, há sorrisos, declarações de fidelidade, lamentos e muito ranger de dentes.

Algumas pastas já tem os nomes definidos segundo apurou o editor deste Blog. Mas como em política tudo muda de um momento para o outro, enquanto não houver a posse dos ungidos, haverá incerteza. 

A certeza é que até o momento do anúncio oficial ainda se verá muita movimentação nos bastidores.

Ninguem quer ser apenas amigo do Rei

Ser amigo do rei não é o bastante nesse momento. Depois esse argumento servirá como consolo para aqueles que não forem brindados com algum cargo. Por enquanto o que vale é se mostrar para ser lembrado. É o jogo da política.

As pessoas que orbitam em torno do Poder, querem antes de tudo status. Ter um cargo de confiança traz mais status do que simplesmente ser amigo do rei. O amigo não cria vínculo. Ele não é imprescindível. O nomeado – seja amigo ou não – cria vinculo na medida em que é necessário ao rei. Em certos casos nasce uma simbiose de forma que o nomeado sequer pode ser exonerado se preciso for. 

É nessa perspectiva que todos os que integram o grupo do Senador João Alberto e aqueles que buscam integrá-lo se movimentam.

Quando tudo estiver consumado, começarão a surgir as histórias de bastidores. Os descontentes, cientes de que nada mais lhes resta, começaram a contar os detalhes das negociações e dos procedimentos que fizeram com que este ou aquele nome fosse ungido para integrar a equipe do novo prefeito.

E se nada der certo....

Para aqueles que se empenharam em brigar por um cargo na nova gestão deixo - para o caso de uma desventura - o poema de Manoel Bandeira "Vou-me embora pra pásargada"

Vou-me embora pra Pasárgada
Lá sou amigo do rei
Lá tenho a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada

Vou-me embora pra Pasárgada
Aqui eu não sou feliz
Lá a existência é uma aventura
De tal modo inconseqüente
Que Joana a Louca de Espanha
Rainha e falsa demente
Vem a ser contraparente
Da nora que nunca tive

E como farei ginástica
Andarei de bicicleta
Montarei em burro brabo
Subirei no pau-de-sebo
Tomarei banhos de mar!
E quando estiver cansado
Deito na beira do rio
Mando chamar a mãe - d’água.
Pra me contar as histórias
Que no tempo de eu menino
Rosa vinha me contar
Vou-me embora pra Pasárgada

Em Pasárgada tem tudo
É outra civilização
Tem um processo seguro
De impedir a concepção
Tem telefone automático
Tem alcalóide à vontade
Tem prostitutas bonitas
Para a gente namorar

E quando eu estiver mais triste
Mas triste de não ter jeito
Quando de noite me der
Vontade de me matar
- Lá sou amigo do rei -
Terei a mulher que eu quero
Na cama que escolherei
Vou-me embora pra Pasárgada.

 
URL:
Todos os direitos reservados - Louremar Fernandes
[IMPRIMIR]